Girl Gang: Nós precisamos Entender para Atender.

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Na faculdade, meus colegas não acreditavam que pudesse existir alguém que queria ser atendimento desde pequena. Pode isso? Pode! Sempre fui atrás do meu maior desejo e lutei muito, até que consegui.

blog

15 de março de 2018

Girl Gang: Nós precisamos Entender para Atender.

15 de março de 2018 - 10:18 - atualizado em 15 de março de 2018 - 10:25

Agora em 2018, completo 5 anos que trabalho como Executiva de Contas (Atendimento) em agências de publicidade. Durante todo esse tempo, já atendi mais de 30 clientes de diversos segmentos desde o alimentício até órgão público. Algumas vezes já cheguei a ser questionada: Porque uma publicitária formada é tão focada em atendimento ao cliente final?

Bom, minha vontade de ser publicitária e, principalmente, ser uma executiva de contas, vem desde quando eu era pequena.

Toda a minha família é comerciante, então sempre estive presente na correria do dia a dia e com aquela vontade de participar e poder ajudar de alguma forma. Mas eu não queria exercer qualquer umas das inúmeras funções que via minha família trabalhando, queria estar no mesmo lugar que meu avô e meu pai estiveram durante anos, no contato direto com as demandas e com o cliente.

Ainda na época da escola, quando tinha os trabalhos sobre o que nós queríamos ser quando crescer, comecei a pesquisar e a conhecer mais sobre a publicidade e desde então, escolhi ela como minha profissão. No entanto, para conquistar esse sonho tive que passar por inúmeros desafios e nem sempre foi fácil.

Tive que sair debaixo das asas dos meus pais muito cedo e aprender a me virar sozinha numa cidade totalmente diferente. Mas sempre fui atrás do meu maior desejo e lutei muito, até que consegui. Na faculdade, meus colegas não acreditavam que pudesse existir alguém que queria ser atendimento desde pequena. Pode isso? Pode!

Meu primeiro estágio foi logo no início da faculdade, ali já plantei a florzinha da minha profissão e, desde então, tive milhares de experiências e de muitas formas diferentes.

Ser executiva de contas não é nada fácil. Jamais vou esquecer a minha primeira reunião no cliente, lembro que me arrumei muito, decorei as falas na frente do espelho e fui muito empolgada apresentar uma super campanha, a expectativa era de sucesso total, mas a realidade é que recebemos de cara: “está tudo reprovado”.

É, ser executiva de contas realmente não é nada fácil, mas foi aí que aprendi que muitas vezes precisamos alinhar os nossos objetivos aos de nossos clientes, essa união é fundamental para um bom relacionamento.

Aprendi que para isso, precisamos nos reinventar sempre, não somos somente o contato entre a agência e o cliente, devemos ser uma conexão contínua entre eles. Acima de tudo, devemos ser as pessoas de negócio, que age como agência e pensa como cliente. Além de buscar resultados de mercado para o cliente, precisa trazer resultados de negócios para a agência. Parece simples?

Ser um Executivo de Contas não é só montar a ata das reuniões, ou montar os cronogramas dos projetos, muito menos aliviar as demandas do restante da equipe. Devemos conhecer o mercado, entender (nem que seja o mínimo) de todas as áreas, fazer diagnósticos que contribuirão para o sucesso do projeto e ainda manter a sua equipe engajada e motivada.  

Diferente do que todos pensam, a criatividade não se limita ao designers ou redatores, na verdade, é um atributo que devemos ter também, porque precisamos montar um bom briefing, conduzir uma reunião com competência e ser capaz de apresentar todo o projeto.

Basicamente nós precisamos Entender para Atender.

É uma atribuição que requer liderança, conhecimento, talento e muito jogo de cintura. E hoje, quando me perguntam porque uma publicitária sempre quis ser uma executiva de contas, posso dizer que é porque sou extremamente apaixonada por essa profissão.

Êmilly Lehmkuhl

15 de março de 2018 - 10:18 - atualizado em 15 de março de 2018 - 10:25

COMENTÁRIOS PARA ESTE POST